quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Frase mórbida?! Eu não acho

Meu primeiro contato com Ele foi quando eu tinha cinco anos de idade. Cochilei e fiz xixi no sofá de casa, novinho em folha. É hoje que levo uma surra, resmunguei! Mas aí, antes de me deitar, ajoelhei-me e sussurrei: Papai do Céu, que mainha não brigue comigo quando chegar em casa, senão eu tô frita! Dormi na mais perfeita paz e no dia seguinte ela até me consolou: a gente lava e põe no sol. Ops, encontrei ali um aliado! Cresci lembrando com gratidão por aquele dia, certa de que não foi o sol que me salvou de uma bela bronca...

Mas hoje, cada dia que passa, tenho até certo constrangimento de falar sobre Ele. E isso me dá um remorso danado... Porque a maioria das pessoas prefere acreditar em si própria, na sorte, no acaso, na natureza, nos astros, em Santa Periquita do Rabo em Pé, na puta que lhe pariu, a dar crédito pela vida, pelas graças ou pelos livramentos a Deus. Ou Jesus. Já repararam que as pessoas pouco usam esse nome?

De uns tempos para cá, percebi que não posso consolar muitos amigos oferecendo-lhe uma palavra de conforto advinda da Bíblia: seria mais que uma afronta às mentes que se acham magnânimas e mega-bem-instruídas. Elas não acreditam em um livro que somente ensina o bem, mas lêem os jornais, e propagam tudo que estava ali - que foi escrito por um mero repórter - como a mais pura verdade. Ficam inchadas de tanta presunção ao ditarem seus autores, livros favoritos. “Não, porque Dan Brown é maravilhoso... Não, porque adoro as críticas de Arnaldo Jabor”. Mas o que disse Jesus aos seus discípulos precisa ser incansavelmente rebatido, discutido, punido...

Estava conversando com uma amiga e comentei: mas a gente não pode botar uma passagem cristã no MSN que é motivo de polêmica, né, menina? Logo depois, coloquei no espaço de mensagens pessoais a seguinte frase: "Nunca mais te servirá o sol para luz do dia nem com o seu resplendor a lua te iluminará; mas o Senhor será a tua luz perpétua". Juro: não se passaram cinco minutos para a primeira avessa a Deus dizer: “mas q frase mórbida é essa, mulher?”. Mórbida? A cazzo só se fala em Deus quando se está na lama? Outro: “Virou crente, foi?”. Dã! Me errem!

Já ganhei tantas coisas boas, já tive tantos pedidos acatados, já recebi bênçãos... Mas se eu atribuir tudo isso a Deus, noooooossa! Arranjo facilmente um opositor! Já deve ter até algum leitor pensando: Mas ela não quer dar uma de santinha pra cima de mim não, né? Acertei? Seguramente, sim!

Uma exemplo dos frutos da minha fé: havia uns quarenta candidatos à vaga por um estágio... Por aí. Estava num período de baixa auto-estima. O “emprego” em uma TV cairia como uma luva para eu descobrir que eu não poderia ser tão improfícua quanto pensara. Fiquei na minha. Os que se auto-congratulavam os mais ilustres da faculdade, que tinham a cabeça quase saindo do pescoço, me olhavam de nariz torcido. Mas aí eu bati o pé: Deus, o sol por acaso não nasceu para todos? E eu por acaso não lhe sou fiel? (Hoje estou bem dispersa, mas, no tempo, eu realmente era!) Pois fiquei na varanda de casa, cobrei a Deus boa parte de suas promessas e, dias depois, tive a notícia do resultado. Única selecionada!

À época, aquilo me parecia a chance de minha vida, um divisor de águas. Hoje vejo que não era nada se comparado à glória que Deus ainda irá me revelar. Pretensiosa? Não... Nem um pouco. Não sou alienada, não sou fundamentalista, nem nenhum desses termos proclamados pelos que adoram mostrar sua opinião “sóbria” e “madura” ou sabe-se lá o quê contra Cristo! Apenas confio no meu taco e em alguém que me ama, me conhece pelo meu nome e pode me sustentar!


Myllena Valença

8 comentários:

Karina Maux disse...

Pois é Myllena! Acreditar em Deus, falar sobre Jesus, ler a Bíblia, não está na moda, infelizmente...mas faz um bem incrível! Ter fé, acreditar em si e, ainda por cima, contar com a ajuda de Deus, são privilégios de poucos...Você tem esses privilégios. Agradeça e ajude aos outros se encontrarem e encontrarem a Deus... Talvez seja essa uma de suas missões aqui na Terra. Bjs e parabéns

Gabriela disse...

"A verdade vos libertará!" Isso nos disse um dos maiores sábios e humanistas que a história registrada nos deu a conhecer, que foi o "Ungido", Jesus de Nazaré. Se alguém quiser saber como viver uma vida feliz, é só lembrar a frase atribuída a ele: "amai-vos uns aos outros, como eu vos amei". Amor incondicional, que não vê condição social, aparência física, ideologia ou mesmo caráter. Todos somos criaturas de Deus (ou da Deusa), o que nos faz irmãos. Lembrem-se da lei da ação e reação, uma lei da física. Tudo que faz tem uma reação. Ainda que não possamos enxergar com nossos pobres sentidos físicos.
Myllena, minha amada irmã, você descobriu o maior segredo do mundo: o da felicidade. Conectar-se com a fonte (chamem-na do que quiserem) e espalhar luz onde quer que você vá. Diga ao Universo o que você quer e ele mandará para você. Espalhe amor e o amor virá para você. Simples, como Jesus nos ensinou. Lembrem-se, a matéria perece, o espírito é eterno.
Que nosso Pai de infinito amor e misericórdia esteja sempre junto a você em cada passo do seu caminho!

Ana Mel disse...

Quando li o texto me lembrei do que já havia dito para você. è, realmente não acredito na Bíblia, mas admiro sua fé nela. Tenho fé, sim, que existe algo maior, algo superior a nós, que nunca me abandona, nem quando eu mesma digo que me deixou para atrás. Ele vem e me mostra que ue estava errada e ele fez exatamente o que deveria ser feito. Acho que vc se lembra de uma história que lhe contei, mas vou deixar registrada aqui: "Uma criança vai nadar no lago do lado da sua casa e ao olhar pela janela a mãe percebe que tem um jacaré indo em sua direção, ela corre pra salvar o filho, mas ao mesmo tempo emq ue ela o segura, o jacará o ataca. É um cabo-de-guerra, entre a mãe e o animal. Milagrosamente um vizinho vê a cena e mata o jacaré. O menino sobrevive, mas com cicatrizes por todo o corpo. Então, um repórter vai ao hospital e pede para ver as cicatrizes, ele mostra as das pernas, feitas pelo animal, mas no mesmo momento, diz: - Mas, olha, essas aqui foia a minha mãe que fez. O repórter fica atônito e ele explica: - Essas foram das unhas da inha mãe, que não me deixou ir". Essa é uma das maiores provas de um ensinamento de Deus. A gente pode até pensarq ue esta dor é insuportável, que nós estamos sofrendo, mas é somente as mãos de Deus nos segurando para que a gente não vá. A dor em uma cama de hospital é Deus nos segurando, lutando por nós, memso quanod já desistimos...

É, Mylle, conseguiu tocar bem fundo...É por isso que sou sua fã.

Bju

pollyanna gurgel disse...

My, é assim mesmo. Se falamos de Deus, somos beatas, não podemos errar, não podemos falar palavrão, somos excluídas. kkkkk. Que engano.... mesmo assim, falando Dele, erramos, somos humanos. Mas a tentativa de acertar é o mais importante, pois ai é convivência. E a convivência nos faz cada vez mais tentar agradá-lo para que Ele demonstre e nós sintamos a paz que o amor Dele traz. Andarmos junto Dele, por onde for, e Ele enviará o Espírito Santo para nos iluminar a escolher os melhores caminhos a serem trilhados.
O que mais me agrada em Deus é a liberdade que Ele nos concede, o perdão que nos acolhe, o Amor com o qual Ele nos ama e a intercessão da Virgem Santíssima Maria, que também nos ama e muito.

Bora em frente garota...
Obrigada meu Senhor e meu Deus por vc, pela família, pelos amigos, pela vida, pelo emprego, por tudo. Muito obrigada Jesus. Só te peço olha sempre por mim e pelos meus. Amém!
11 de Setembro de 2007 06:15

Paulo Galvez disse...

Ih, acho que você não vai gostar nem um pouco do meu último post, rs. Mas, tudo bem: sou um grande defensor das liberdades individuais, especialmente de pensamento. Na verdade, passei aqui só pra dizer que estarei sempre de olho no Cacoetes (lembra que eu havia te dito que estava sem tempo?, rs) e que o coloquei no meu blogroll. Bjs.

patricia disse...

li muitos séculos depois..., mas ao menos qualcosa in italiano hai imparado, bjos

Ezandra Ribeiro disse...

Quando a gente fala de Deus nem sempre somos ouvidos, mas Ele nos ouve e nos abençoa. As pessoas que Nele confiam de nada devem temer e são iluminadas como vc. Essa crônica identifica muito com minha vida, adorei lê-la. Parabéns e muito sucesso!

Variedades e Variáveis disse...

Menina, sabe que comigo acontece exatamente a mesma coisa? E sendo crente, então? Lascooooooooou, que o povo já acha que sou da "igreja-que-passa-a-sacolinha-e-não-pode-fazer-nada"...e isso é um saco!
Mas, enfim, o povo querendo ou não, eu continuo dizendo o meu "Graças a Deus". E leio a Biblia, oro, procuro manter a fé (quando sinto que está acabando, peço a Ele mesmo por mais) e é isso.